Lançamento: Cartilha Comunicação e Direitos Humanos

10.01.14 | admin

 

Fonte: Giulliana Bianconi, no Relações Inovadoras. Texto licenciado sob uma licença CC BY-NC 3.0-BR

Já vi a história se repetir um “sem-número” de vezes. Uma ONG que atua na área de educação cria um projeto interessante, que poderia ser replicado ou ter resultado potencializado caso fosse realizado um bom plano de comunicação que abarcasse seus públicos de interesse. Mas… não há verba para a comunicação, não há profissionais de comunicação para cuidar disso, a verba é curta e os gestores, então, decidem priorizar a execução e deixar a comunicação “para um outro momento”.
Acontece muito.

Usei a educação como gancho porque essa é uma área que se relaciona intrinsecamente com direitos humanos. Mas qual não foi meu entusiasmo ao ser convidada pelo Fundo Brasil de Direitos Humanos, no fim de 2013, para fazer um manual que pudesse servir de base à construção de planos de comunicação para projetos de direitos humanos. Mais interessante ainda foi descobrir que essa iniciativa fazia parte de outra maior: o Fundo Brasil teve aprovado pela Petrobrás o projeto “Fortalecendo o protagonismo de redes e articulações na promoção de direitos humanos no Brasil”, que visa promover o conhecimento e a prática da comunicação junto a organizações da sociedade civil.

Não me lembro de ter visto iniciativa semelhante antes e por isso me apressei em parabenizar as gestoras do Fundo Brasil por pensarem de forma tão estratégica sobre empoderamento de redes. Tratei também de abraçar o desafio que me deram, e por mais que eu não recomende fórmulas prontas para planos de comunicação, acredito que é possível, claro, pensar em uma estrutura flexível em formato de “manual” que possa ser útil para iniciar diferentes planos, em diferentes áreas.

Foi pensando de forma ampla em autoria, direitos humanos, ações e ferramentas de comunicação que desenvolvi a cartilha de comunicação “Reflexões e Diretrizes para a construção de Plano de Comunicação relacionado a Direitos Humanos”. Sim, é um documento técnico, mas com dezenas de espaços “em aberto” que permitem debates de acordo com a realidade em discussão no momento da construção do Plano.

Para acessar, clique na imagem abaixo:
default-post-img-l-300x195

Todo o material publicado na cartilha está sob a licença Creative Commons CC BY NC SA, podendo ser reproduzido sem autorização prévia do Fundo Brasil de Direitos Humanos, desde que para uso não comercial e citando a fonte original, inclusive autor do texto quando for o caso. Para obras derivadas, deve-se licenciá-las também em CC.

Edital aberto
Além da iniciativa voltada à comunicação de redes, o Fundo Brasil de Direitos Humanos abriu, também no fim de 2013, dois editais para apoiar projetos de organizações ou indivíduos que atuam na defesa de direitos humanos em todo o país. Mais informações no site.